domingo, 19 de setembro de 2010

ESTOU UM POUCO AFASTADA... PRECISO DE MUDANÇAS RADICAIS!

Gente! Estou com meu esposo precisando um pouco de mim(agora mais que nunca!), esta semana passou por dois sustos enormes,...terá que perder peso ou morre! Em meus tour pela net, encontrei um blog maravilhoso, onde a Josi, certamente nos ajudará a vencer esta nova etapa... enquanto isso vou concuindo algumas encomendas que consegui, trabalhando lá no escritório e aproveitando o incentivo para perder peso também! Foi no blog da Josi: http://josikirschner-emagrecendo.blogspot.com, que encontrei esta reflexão há muito tempo não lia... Beijos a todas que aqui estiverem. Passem lá no cantinho da Josi.
VAMOS SER BORBOLETAS!

Um homem sentou e observou a borboleta por várias horas confo

rme ela se esforçava para fazer com que seu corpo passasse através daquele pequeno buraco.

Então pareceu que ela parou de fazer qualquer progresso. Parecia que ela tinha ido o mais longe que podia, e não conseguia ir mais longe.
O homem decidiu ajudar a borboleta, ele pegou uma tesoura e cortou o restante do casulo. A borboleta então saiu facilmente. Mas seu corpo estava murcho e era pequeno e tinha as asas amassadas.
O homem continuou a observar a borboleta porque ele esperava que, a qualquer momento, as asas se abrissem e esticassem para serem capazes de suportar o corpo, que iria se afirmar a tempo.
Nada aconteceu! Na verdade, a borboleta passou o resto da sua vida rastejando com um corpo murcho e asas encolhidas. Ela nunca foi capaz de voar.

O que o homem, em sua gentileza e vontade de ajudar, não compreendia era que o casulo apertado e o esforço necessário a borboleta para passar através da pequena abertura era o modo que Deus fazia com que o fluído do corpo da borboleta fosse para as suas asas de modo que ela estaria pronta para voar uma vez que estivesse livre do casulo.
Algumas vezes, o esforço é justamente o que precisamos em nossa vida. Se Deus nos permitisse passar através de nossas vidas sem quaisquer obstáculos, ele nos deixaria aleijados. Nós não iríamos ser tão fortes como poderíamos ter sido e nunca poderíamos voar.
Postar um comentário